Work in – Work for – Work at: Qual o correto?

Devo usar sempre a preposição IN com o verbo “to work”?
E será que ela pode ser usada com qualquer tipo de empresa ou negócio?
Juliana Marinho, Brasília-DF

Você tem a mesma dúvida da Juliana? Pois saiba que esta é uma pergunta bem comum.

Afinal, qual a preposição correta a ser usada com o verbo To work?

Veja alguns exemplos:

• I work as a cook in a local restaurant.
• He works in my office.
• She works in a big company.
• They work in the emergency unit at the hospital.
• She works in a shoe store.

Nessas frases foi usada exclusivamente a preposição “IN”. Quando usaremos “at” e “for”?
Por exemplo:

• Mary works at a travel agency.
• I work at the local supermarket.
• Now they work for a bank.
• He works for a small non-profit organization.

Costumes do idioma

O que nos confunde muitas vezes em um idioma estrangeiro são os hábitos e costumes de cada idioma, que podem variar de local para local.

Por exemplo, a frase “She works for a shoe factory” não soa bem. Mas se você usar uma empresa de advocacia a frase funciona legal:

“I work for a law firm”.

Muitas vezes temos o costume de dizer uma coisa mas não existe o hábito de empregar o mesmo termo em outra situação.

IN, FOR, AT são semelhantes

O fato é que a preposição IN não é universal, e o verbo to work pode ser acompanhado tanto por IN quanto por AT ou FOR na maioria dos casos.

I work {in/for/at} a bank.
Em qualquer dos casos o significado é que eu trabalho no banco (I am employed by the bank).

Mas se você quiser qualificar as condições de trabalho, ou dar maiores detalhes sobre a atividade, é preciso dizer algo mais e usar o termo adequado. Veja:

• I work for myself, but every day I take my notebook and work {in/at} the university.
Ou seja: I employ myself, but my working venue is a university library.

Percebeu? Veja um texto que explica a situação acima utilizando in, at e for:

I used to work for a professor of Education. I worked at the university in his office, but I didn’t work for the university; I worked strictly for him. I wouldn’t say that I worked in the university in this case: it doesn’t take the same usage rules as {in/at} the university library.

Preposições são termos regidos pela fala nativa local. Nem todo mundo que usa o mesmo dialeto (nacional ou regional) emprega a mesma preposição que outra pessoa. Muitas vezes utilizamos a preposição que faz mais sentido semântico. Por exemplo:

Se uma pessoa está sentada em cima de uma mesa (no tampo mesmo), você se refere a ela como estando “on the table”, não “by the table” nem “under the table”; esta definição é bem clara. Mas outras vezes o emprego da preposição não é tão óbvio em termos de linguística, mas depende do hábito local:

Let’s walk {up/down} this block.

Perceba que a ideia é caminhar pela quadra, sem importar se a rua sobe ou desce, nem se os números aumentam de 0 a 100 ou diminuem.

O contexto é mais importante que o significado cru da palavra, e o emprego dos termos de forma regional ou nacional muitas vezes fala mais alto.

Deixe seu Comentário