Sabia que o alfabeto inglês tinha 6 letras a mais?

Se você tiver a oportunidade de caminhar pelas ruas pitorescas da Nova Inglaterra, provavelmente vai encontrar cartazes e placas com dizeres como “Ye Olde Tavern” ou “Ye Old Soda Shoppe”.

Em Londres também é possível encontrar anúncios de produtos como “Ye Olde Cheshire Cheese”.

Mas antes de você inventar um sotaque britânico pra pedir uma cerveja antiga, descubra a história por trás desses termos antigos.

Inglês Antigo,Latim & Línguas Nórdicas

Frases como “ye olde” vêm do século 19 e são empregadas para evocar uma conexão sentimental com os velhos tempos. O termo ye teve uma origem bem complicadinha até ser incluída no alfabeto (e sumir depois…).

As mudanças na sociedade humana podem muito bem ser marcadas através do desenvolvimento das inúmeras linguagens e idiomas falados pelo mundo afora. A língua inglesa é a atual “língua franca” falada por milhões de pessoas mas nem sempre esteve num estágio de evolução tão pronto como o atual.

Sobretudo nos últimos 2 séculos houve muitas alterações e adaptações no idioma inglês. Existem 6 letras que chegaram a ser tão pouco usadas que caíram no esquecimento, se tornando oficialmente desnecessárias.

Veja quais são:

Eth (ð)

Esta letra era pronunciada com o som atual de ‘th’ em palavras como this, the ou that. O y do termo ye vem da letra eth, até que as duas acabaram se fundindo.

Wynn (ƿ)

Wynn foi introduzida no alfabeto para representar ‘w’. Antes de existir a letra Wynn, eram empregadas duas letras ‘u’ juntas. Posteriormente, o duplo u ganhou uma representação mais popular: ‘w’, e assim ficou até hoje.

Thorn (þ)

Thorn também tem um som de ‘th’ mas, diferente da letra ‘eth’, a pronúncia do thorn é muda. O mais próximo que chegamos é o ‘th’ em palavras como thought ou thing.

Ash (æ)

No Inglês Antigo esta letra era usada para representar uma vogal curta, meio como o ‘a’ na palavra cat.

A letra ‘Ash’ ainda é usada em idiomas nórdicos como Islandês e Dinamarquês, mas nesses idiomas ela tem o mesmo som que possuia no Latim original: um ‘i’ longo, como em fine.

No inglês moderno, æ é ás vezes empregada para dar estilo ao texto, como em “archæology” ou em “medæval”.

Ethel (œ)

Ethel era usada para representar uma pronúncia entre o & e, mais ou menos como se pronuncia hoje o termo coil. Ethel desapareceu e restaram as vogais empregadas hoje (a, e, i, o, u).

Yogh (ȝ)

A letra Yogh é a mãe do ‘gh’ mudo, como em though ou em daughter. Era usada para indicar o som que fazemos no fundo da garganta – parecido ao som da palavra inglesa Bach ou o escocês loch. Com a evolução da língua inglesa, Yogh sumiu e restou só a composição com ‘gh’.

Deixe seu Comentário